top of page

Brasil volta à lista de países mais atrativos para investimentos;

O Brasil voltou para o ranking dos 25 países mais confiáveis para receber investimento estrangeiro direto. Depois de ficar de fora no ano passado, o país aparece na 19ª posição na lista de 2024, divulgada pela consultoria Kearney. Leia a íntegra do estudo (PDF –  4 MB).


Em 2022, última vez que apareceu no ranking, o Brasil ocupava a 22ª posição. Em 2012 e 2013, o paí chegou ao 3º lugar.


O Índice de Confiança para Investimento Estrangeiro Direto é liderado há 12 anos pelos Estados Unidos, seguido por Canadá e China. Entre os emergentes, o Brasil aparece em 5º lugar, atrás de Índia, Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos e China.


Leia o ranking:


1º – Estados Unidos;


2º – Canadá;


3º – China (inclui Hong Kong);


4º – Reino Unido;


5º – Alemanha;


6º – França;


7º – Japão;


8º – Emirados Árabes Unidos;


9º – Espanha;


10º – Austrália;


11º – Itália;


12º – Singapura;


13º – Suíça;


14º – Arábia Saudita;


15º – Suécia;


16º – Nova Zelândia;


17º – Portugal;


18º – Índia;


19º – Brasil;


20º – Coreia do Sul;


21º – México;


22º – Taiwan;


23º – Polônia;


24º – Argentina;


25º – Dinamarca;


O levantamento também mede o otimismo dos investidores. 88% dos executivos consultados afirmaram que planejam aumentar seus investimentos diretos no exterior nos próximos 3 anos, 6% mais do que em 2023.


O nível de otimismo líquido em relação à economia global também aumentou, para 64%, enquanto o pessimismo diminuiu para 29%. Ambos os dados melhoraram em relação ao relatório do ano anterior.


Uma das preocupações citadas pelos investidores é a continuação das tensões geopolíticas: 85% disseram que um aumento nas tensões afetará as decisões de investimento.


Os investidores também afirmaram que um ambiente regulamentar empresarial mais restritivo poderá representar riscos no próximo ano. Políticas industriais e restrições comerciais, incluindo as relacionadas com tecnologias, mostram uma maior complexidade regulamentar.


Quando questionados sobre a inteligência artificial, 72% dos investidores disseram usar a tecnologia nas suas operações comerciais, especialmente no atendimento ao cliente e em chatbots, na automação de processos manuais e no aprimoramento da cadeia de suprimentos. 63% dos investidores ainda preveem aumento nos próximos anos, contra 8% que acham que o uso de IA vai diminuir. Eles citam a economia de custos, melhora na eficiência e precisão na tomada de decisões como os principais benefícios.


O ranking é definido com base nas respostas de executivos das 500 maiores empresas do mundo.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
bottom of page