top of page

TVs que apoiaram Bolsonaro fazem fila em Brasília para conquistar Lula

Executivos da Record se reuniram com ministros um dia depois de filhas de Silvio Santos, do SBT, fazerem o mesmo

Bispo Edir Macedo, líder da Igreja Universal do Reino de Deus e dono da Record - Divulgação/Presidência da República

As TVs brasileiras que apoiaram o governo Jair Bolsonaro (2019-2022) estão fazendo fila em Brasília (DF) para se aproximar de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e de seus ministros. No início da semana, Daniela Beyruti, filha de Silvio Santos e vice-presidente do SBT, foi à capital federal acompanhada de sua irmã Patrícia Abravanel para se apresentar como nova diretora-forte da empresa.


Silvio Santos falou por telefone com Lula.

Já na noite da última quinta (6), a Record enviou dois executivos para se reunirem com Rui Costa, ministro-chefe da Casa Civil, e Paulo Pimenta, Ministro-Chefe da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República.


Marcos Vieira, CEO do Grupo Record; e Alarico Naves, vice-presidente comercial da TV de Edir Macedo, líder da Igreja Universal do Reino de Deus, conversaram com Costa e Pimenta na sede da Record no Distrito Federal. Executivos do Jornalismo e membros da Igreja Universal não estiveram presentes. Na conversa, foi discutido o futuro da televisão no Brasil, a realidade atual do mercado e as vitórias recentes do governo, como a aprovação no congresso da reforma tributária. No mercado, conversas do tipo são consideradas normais já que o atual governo tem apenas sete meses de trabalho.

O encontro com a Record aconteceu fora a agenda oficial dos dois ministros. A reaproximação nesta semana teve como consequência o adiamento de alguns cortes que seriam realizados nesta semana na emissora, consequência do prejuízo de R$ 500 milhões que a Record teve no período, de acordo com o balanço financeiro divulgado no primeiro semestre.

Se aproximar do governo é uma saída, já que a publicidade estatal ainda é a maior fonte de renda publicitária das TVs abertas. Somente no primeiro semestre de 2022, por exemplo, a Record recebeu cerca de R$ 9,8 milhões em anúncios referentes à Bolsonaro. Somente a Globo, com R$ 11,1 milhões, recebeu mais.

Procurada pelo F5, a assessoria da Casa Civil e a Record não responderam até a última atualização desta reportagem.



8 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
bottom of page